Sentimental

Minha foto
"Ela é cheia de sentimentos, parece que suas experiências se manifestam é no dorso do seu colo, e quase sempre, de vez em quando, tudo isso pesa." Clarisse Lispector
"Se é a razão que faz o homem, é o sentimento que o conduz."
Jean Jacques Rousseau

quinta-feira, agosto 13, 2009

Se eu quizer sentir tudo isso!



E daí que hoje...justo hoje, eu descobrir que ele é beeeeem pior do que eu ja um dia imaginei que ele seria.Tudo que eu queria agora era enviar o dedo nessa tua cara limpa e descarrada e ti dizer inumeras e incontaeis verdades que você merece ouvir.
Mas não vou dá esse gosto pra você,não mesmo....vo levantar minha cabeça, e seguir em frente..como ja fiz em tooooodas as outras vezes que você fez isso..a diferença, é que agora é a ultima vez que faço isso.Pelo menos por você.E vou ti dá um conselho, de verdade,s em ressentimentos.
Quando a gente leva a vida dessa forma que tu ta lenvando a tua, deixando tudo no meio do caminho, coisas mal resolvidas, conversas pendentes, a vida custuma dá um troco, que é dificl se levantar.Custuma ser pesada com a gente...ela deixa tu ir até onde der, naquela "dando corda pra se enforcar" sabe?Depois,te puxa com tudo!Pode ser que ela demore,mais um dia ela puxa.
Você sempre resolveu as coisas desse jeito, pra mim, não é surpresa nenhuma essa covardia toda, esse medo todo. E de todas as vezes que eu disse que eu não sou mulher pra você, preciso retificar uma coisa: você não é homem pra mim, meu caro ! Porque o homem pra mim não foge. E é claro, não tem essa canela fina e nem essa boca, com mais tinta do que contorno. Eu nem tenho mais vocabulário pra escrever textos pra você, que me deixa tão cinza e tão carregada. Não espere meu pedido de desculpas. Já me arrastei muito, já me dei muito pra você, em todos os sentidos.Agora chega. Chega, porque eu cansei de você. Eu sou muito pra você, sempre me disseram isso. E eu sempre soube. E você também. Porque não se limitou ao seu universo paralelo de coisas mais ou menos? Pra mim não é mais ou menos, pra mim é tudo ou nada, e você prefere as coisas mornas, como sforam tooodas as suas namoradas. Eu duvido que seja bom ouvir sussurros que não são os meus. Ah, eu duvido meu bem. Sou capaz de apostar os meus olhos. A sua covardia me faz tão feliz, a sua ausência presente me faz tão bem, a sua falsa indiferença me enche de alegria de um jeito tão descabido, porque assim sou capaz de me recordar porque eu larguei de você. É, larguei, como quem larga uma roupa no chão, um sapato velho dentro do armário. Desculpe se não te avisei. Desculpe se acordei naquela manhã e disse: Não agüento mais olhar pro rosto desse cara. Mas foi exatamente assim que aconteceu. E sabe porque? Porque pra mim você é muito pouco. Um pouco de nada. Se é que você me entende. E se é que você entende alguma coisa nessa vida né meu bem? mas você é bem inteligente, eu sempre admirei isso em você, tenho que admitir. Alguma coisa boa tinha que ter. Como diria aquele velho ditado tão senso comum: cada um tem o que merece. E quando você olhar pro lado e vir quem está deitada com você, terá a vaga idéia, de que, no mínimo, é o inferno que você merece. Mas eu te amei, e te amei muito,pode agradecer. E isso foi o máximo do paraíso onde conseguiu chegar.



Menos de doer, mais de doar.
É que eu só estou tentando ser mais, compreende?!
Um dia eu acordei e, que cause espanto ou não, minha vontade ainda era maior que a dor. Ainda.
Continuo.

3 comentários:

Quem dançou com ela? disse...

Tudo passa, até uva-passa.

Beijos amigaaa!

Descarrega!!!

Le Lis disse...

fubááááááááá!!!!
ficou tão lindo!!!!
aiiiiinnnnn
amei!!!!
depois vamos arrumar o meu!
ah...nada como um dia após o outro!

Quem dançou com ela? disse...

Só arrazando de layout nooovo.

;***